Review: Windows 10 Technical Preview

Eaee, dessa vez trago uma review da tão esperada 2º build do Windows 10, logo no lançamento eu usei a primeira e me surpreendi, dessa vez farei minhas críticas e meus elogios ao novo Sistema Operacional da maravilinda gigante Microsoft.

Área de Trabalho Windows 10

Nova área de trabalho, segue o estilo padrão com leves mudanças no design.

O novo Windows traz várias funcionalidades úteis do Windows 8 e soma com a simplicidade do Windows 7, podendo agora criar várias áreas de trabalho para deixar as coisas mais limpas na sua tela, com menos janelas abertas. (Uau que inovador! Mas o Linux tem isso a anos.)


Sem título

Novo Menu Iniciar com direito a Dashboard

O novo menu iniciar está mais fraca do que a da 1ª build, eu realmente não entendi o porque, na 1ª Build tinha como colocar qualquer aplicativo no dashboard do menu iniciar, agora não encontrei essa opção, mesmo com essa espécie de downgrade, continua o melhor menu iniciar que já tivemos (chupa dashboard do Windows 8)


Xbox App, Novo aplicativo,  meus amigos não tem o aplicativo, eles estão no Xbox!

Xbox App, Novo aplicativo, meus amigos não tem o aplicativo, eles estão no Xbox!

Agora, para gamers nós temos o Xbox App, aplicativo que hoje em dia não tem nada, mas que no futuro será tudo que todos os gamers sempre sonharam, Já imaginou duas plataformas interligadas? Se sua resposta é sim, seja bem vindo ao Xbox App, aplicativo que pretende trazer a Xbox Live pro PC, com esse aplicativo, quando finalizado, você poderá jogar todos os exclusivos de Xbox no PC e mais alguns jogos via Streaming (ou seja, você necessita ter o console)


Xbox Music, Serviço de Streaming de música BEM completo da Microsoft.

Xbox Music, Serviço de Streaming de música BEM completo da Microsoft.

Você acha que só os Gamers teriam seu aplicativo? Está enganado, Eis que aparece no PC o Xbox Music, serviço de streaming da Microsoft! O Serviço é bem cheinho de álbuns (tem quase todos os discos do Pink Floyd). Todas as bandas que sigo eu encontrei aí então acho que você também encontrará!


Minha nota final pro Windows 10 Technical Preview 2ª Build é 9,9/10

Ela só não foi 10/10 por causa do sumiço da escolha de usar a Dashboard (tem que ser masoquista pra querer isso, mas tem gente que prefere) e o sumiço da Personalização completa da Dashboard do Menu Iniciar.

Explicações: O que mudou.

Provavelmente você entrou e ETAPORRACRENDEUSPAI LORD TROCOU O BLOG DE NOME E LAYOUT VOU ESPALHAR ISSO PELO MUNDO reparou que o blog mudou de aparência e nome, o por que disso? Pois agora o meu blog será linkado ao blog de meu amigo: Thegoldplay (Daniel Alves) e futuramente nós criaremos o The Gamers House, que será focado em notícias, reviews, críticas e gameplays. Então é issow, fui.

Review: Pink Floyd – The Dark Side Of The Moon

Falaeee, dessa vez eu trago a review do The Dark Side Of The Moon, o icônico disco da melhor banda do mundo do Pink Floyd!cropped-pink-floyd-david-gilmour-syd-barrett-nick-mason-roger-waters-richard-wright-music1.jpg


O álbum que transformou o Pink Floyd, uma banda que até 1972 estava tocando suas músicas pela diversão, em uma banda gigantesca, multimilionária, e principalmente FODA!

Speak to Me/Breathe:

Tudo começa com uma batida de um coração, e após um tempo, o barulho de uma caixa registradora, após isso risadas e quando você percebe a música está fluindo, Detalhe a estrofe:

“For long you’ll live and high you’ll fly
And smiles you’ll give and tears you’ll cry
And all you touch and all you see
Is all your life will ever be”

“Você vive muito tempo e alto você voará
Sorrisos você dará e lágrimas você chorará
Tudo que você toca e tudo que você vê
Tudo que a sua vida nunca vai ser”

isso é Speak To Me/Breathe!


On The Run:

Depois tudo volta em um ritmo frenético numa mistura de um barulho de vento com sintetizadores, depois uma aeromoça falando e passos, até agora você não entendeu nada da música, até você perceber que ela trata sobre a corrida! O medo de chegar atrasado, ou a ânsia de chegar cedo, ou até mesmo o medo de ser demitido, ou a ânsia de ser promovido, as contas pra pagar, ou seja as preocupações de pessoas normais! Logo após, tudo termina numa explosão, que significa tudo dando errado, você chegando atrasado, assim sendo demitido e deixando de ganhar o salário que usaria pra pagar as contas. Isso é On The Run!


Time:

Tudo começa num alarmar de vários relógios (o responsável pela mixagem disse que são 32) e quando você percebe inicia-se um tic tac de relógio e a guitarra logo após entra na música, seguido pelo teclado, e então se inicia se uma conjunção entre tudo de repente se torna uma das melhores músicas do Pink Floyd! A música trata sobre aproveitar a vida enquanto você é novo, porém ela também trata sobre você aproveitar a vida de mais e quando você percebe como diz a música; “10 years have got behind you”. Detalhe a estrofe: ”

“Every year is getting shorter
Never seem to find the time
Plans that either come to naught
Or half a page of scribbled lines”

“Cada ano que passa fica mais curto
Pareço nunca arranjar tempo
Planos que tampouco deram em nada
Ou meia página de linhas rabiscadas”

Essa frase mostra a decepção de dedicar tanto tempo em algo pra no fim tudo acabar em nada, deixando só dor e tristesa. Isso é Time!


The Great Gig in The Sky:

Tudo começa com o magnifico teclado/piano de Wright, logo surge o vocal divino de Clare Torry uma convidada, que foi chamada para o vocal, a música mostra a tristeza dos acontecimentos de sua vida, posso dizer mais ou menos como uma representação de toda a tristeza de a vida de um ser humano só. Uma curiosidade rápida, Pediram a Clare na hora da gravação para fazer um solo a capela e pensasse na coisa mais triste que a mesma pudesse imaginar, assim surgiu o vocal de The Great Gig in The Sky!


Money:

O grande single americano da banda começa novamente com o barulho de caixas registradoras e logo após vem o baixo foda do Roger Waters e um pouco depois vem o Vocal de Gilmour e Waters. A música trata sobre o capitalismo e toda a falsa felicidade que vem embalada em todas as lojas. detalhe a estrofe:

“Money, it’s a crime
Share it fairly, but don’t take a slice of my pie
Money, so they say
Is the root of all evil today
But if you ask for a raise, it’s no surprise that they’re
Giving none away”

“Dinheiro é um crime
Divida-o de modo justo, mas não pegue um pedaço da minha torta
Dinheiro, assim eles dizem
É a raiz de todo o mal hoje em dia
Mas se você pedir um aumento, não é surpresa que eles
Não estejam dando nenhum”

Essa frase mostra a hipocrisia das pessoas ricas, como dizem aqui nas terras tupiniquins; “faça o que eu digo, não faça o que eu faço”


Us and Them:

A música segue um jeito calmo até mais ou menos o meio, apesar de depois voltar ao estilo calmo, começando um pouco após a bateria, o saxofone e logo após o vocal de Waters e Gilmour, a música trata sobre a reflexão sobre a vida e o arrependimento de como a vida está atualmente. Detalhe a estrofe:

“And who knows which is which and who is who.
Up and down
And in the end it’s only round and round
Haven’t you heard it’s a battle of words
The poster bearer cried
Listen, son, said the man with the gun
There’s room for you inside”

“E quem sabe qual é qual e quem é quem
Altos e baixos
E no fim das contas isto vira um ciclo sem fim
Você não ouviu? Isto é uma batalha de palavras
O homem do cartaz berrou
Escuta filho, disse o homem com a arma
Há um quarto pra você lá dentro”

Essa estrofe mostra a indecisão e o medo, será que eu devo confiar nele ou não? Coisas assim, e de repente quando você percebe, será sempre assim, você cresce, entra numa escola, faz amigos, alguns crescem com você, outros somem, e quando você se depara, você pensa se deve ou não confiar neles. Sem dúvida uma das músicas com um significado mais fantástico de todas, Isso é Us and Them!


Any Colour You Like (sim eu coloco colour e não color, apesar de colour já ter caido em desuso)

Whoa! A música já começa com o sintetizador junto ao baixo de Waters, a bateria de Mason e os Teclados de Wright!     A performance de Wright nessa música se compara a em outras músicas famosas dele como Time do mesmo álbum e de Wearing The Inside Out do The Division Bell.


Brain Damage:

A música começa de um jeito lento, como se quisessem mostrar que é algo decadente, que é realmente o que a banda quis mostrar, Brain Damage é uma referência a Syd Barret, Ex-guitarrista, Principal compositor e guitarrista da banda, saiu da banda em 68 nas gravações de A Saurcerful of Secrets. O nome brain damage veio também de Syd, já que ele usava a droga alucinógena LSD, que danifica o cérebro seriamente. pra quê usar isso? não vejo o mínimo sentido em zoar o cérebro todo só pra ver um monte de onda colorida Detalhe a estrofe:

“You lock the door
And throw away the key
There’s someone in my head but it’s not me
And if the cloud bursts, thunder in your ear
You shout and no one seems to hear
And if the band you’re in starts playing different tunes
I’ll see you on the dark side of the moon”

“Você tranca a porta
E joga a chave fora
Há alguém em minha cabeça, mas não sou eu
E se a nuvem explodir, trovejar em seu ouvido
Você grita e ninguém parece ouvir
E se a banda em que você está começar a tocar melodias diferentes
Eu te verei no lado escuro da lua”


Eclipse:

Whoa!² De novo Rick Wright começa atacando qualquer um que diga que ele é um tecladista ruim, MEU DEUS do céu como eu amo essa introdução! O álbum termina com chave de ouro com essa estrofe: (coloquei a música inteira porque é difícil selecionar uma parte, a letra é inteiramente linda

“All that you touch
All that you see
All that you taste
All you feel
All that you love
All that you hate
All you distrust
All you save.
All that you give
All that you deal
All that you buy,
Beg, borrow or steal.
All you create
All you destroy
All that you do
All that you say.
All that you eat
everyone you meet
All that you slight
Everyone you fight.
All that is now
All that is gone
All that’s to come
And everything under the sun is in tune
But the sun is eclipsed by the moon”


Whoa!³ Deu trabalho fazer isso! 1448 palavras! Escrevi isso de 3:57 as 6:45 e revisei das 6:45 as 7:00 espero que não tenha nenhum erro, Tentei fazer uma review mais detalhada após ver minha review do The Endless River, e provavelmente lançarei mais uma essa semana, ainda não decidi qual banda ou game será!

Valeu por Tudo!

Review: Assassin’s Creed Unity

Falaeee, dessa vez vou trazer uma review do game Assassin’s Creed Unity, um dos jogos mais polêmicos de 2014!

Assassin’s Creed Unity conta a história de Arno Dorian um ventilador ambulante um garoto francês que na sua infância perdeu seu pai, sendo adotado pelo Grão Mestre dos templários, François de la Serre, no qual é pai da futura mulher de Arno, Élise de la Serre. Na sua adolescência, foi incriminado pelo assassinato de François, Preso na Bastilha, Arno conhece Pierre Bellec que lhe conta que seu pai fazia parte de uma irmandade inimiga aos templários, os Assassinos, sabendo disso Arno treina com Bellec para se tornar um Assassino e descobrir o resposável pelo assassinato de François de la Serre. Arno é introduzido a Ordem após fugir da prisão com Pierre Bellec. Logo após se tornar assassino, Arno viaja para falar com Élise para explicar que não era o culpado e queria ajuda para descobrir o real responsável.

Pontos positivos do game:

  • História fenomenal a nível de filme seguindo o nível da saga Assassin’s Creed
  • Bons Gráficos
  • Ótima dublagem
  • Imersão absurda de Paris na Revolução Francesa
  • Mais de 8,000 personagens na tela, em multidões gigantes
  • Modo co-operativo divertido e emocionante com missões de stealth e de roubos, que trazem uma dinamicidade boa ao gameplay

Pontos negativos do game:

  • Alto número de bugs
  • Apesar dos bons gráficos o jogo tem texturas fracas pra época
  • Problemas de conexão nos servidores da Ubisoft

Polêmica:

Assassin’s Creed Unity se tornou polêmico após seu lançamento precoce, o que lhe trouxe grande número de bugs como:

  • Atravessar paredes
  • Atravessar o chão e ficar caindo no infinito
  • Personagens sem rosto
  • Personagem sem querer atacar

As ações da Ubisoft cairam em 9% após o lançamento do game, O que fez ela dar um jogo de graça a qualquer pessoa que tenha comprado o game versão Gold.

Nota: 8.5/10

Planos pro site

Falae, sou eu tiririca to fazendo esse post, pra dizer o futuro do blog estilo mãe diná!

  • Pretendo melhorar o visual tá meio fora de moda
  • Pretendo até o ano que vem fazer pelo menos 2 postagens por semana, pq não sou a pessoa mais criativa do mundo então fica difícil fazer mais que isso
  • Pretendo começar a trazer covers de bandas
  • Pretendo começar a fazer tutoriais, por exemplo; como fazer build em skyrim, montando char em AC Unity, melhorando a mira em jogos FPS e tal
  • Pretendo talvez trazer vídeos de jogos com meus amigos

Então é issooow.

Primeira Review: Pink Floyd – The Endless River

Feliz Natal a todos, e de presente de natal eu trarei um milhão uma review do álbum The Endless River, o último álbum mas já? foram só 50 anos da banda inglesa Pink Floyd vulgo melhor banda do mundo

Assim que peguei o álbum para ouvir senti a diferença desse álbum ao The Division Bell, principalmente já que esse álbum era para ser o segundo LP do mesmo. Senti também que as músicas são mais atuais, o que de certa forma não achei uma mudança ruim. Com uma grande presença de Rick Wright e Nick Mason, o que achei ótimo, porém sem perder a essência da guitarra de Gilmour. Detalhe as musicas: Anisina pela maravilhosa performance de Rick Wright no Piano,e Louder Than Words pela performance vocal divina de David Gilmour.

Em geral achei que Pink Floyd terminou com chave de ouro, com um flow maravilhoso e calmo… The Endless River, Forever and Ever!

The Endless River: 9.5

Side 1, Pt.1: Things Left Unsaid
Side 1, Pt.2: It’s What We Do
Side 1, Pt.3: Ebb and Flow
Side 2, Pt.1: Sum
Side 2, Pt.2: Skins
Side 2, Pt.3: Unsung
Side 2, Pt.4: Anisina
Side 3, Pt.1: The Lost Art Of Conversation
Side 3, Pt.2: On Noodle Street
Side 3, Pt.3: Night Light
Side 3, Pt.4: Allons-Y (1)
Side 3, Pt.5: Autumn ’68
Side 3, Pt.6: Allons-Y (2)
Side 3, Pt.7: Talkin’ Hawkin’
Side 4, Pt.1: Calling
Side 4, Pt.2: Eyes To Pearls
Side 4, Pt.3: Surfacing
Side 4, Pt.4: Louder Than Words

Gostaria de avisar que essa fonte abaixo leva pra minha postagem no blog colaborativo Whiplash, no qual eu faço parte. 😛

Fonte: Resenha – Endless River – Pink Floyd http://whiplash.net/materias/cds/213623-pinkfloyd.html#ixzz3Mi8pJerD

Introdução

Falae, meu nome é Marcos (mó nome de pedreiro) Tenho 13 anos. Na interwebs eu sou chamado pela maioria de Lord (por isso o nome LordGamerHouse), Jogo MUITO no meu PC, é Battlefield 4, Skyrim, The Crew, Assassin’s Creed e talz.Toco guitarra sonhando um dia chegar no nível do David Gilmour (guitarrista do Pink Floyd) falando nisso amo rock, desde Pink Floyd a Green Day!